FME/FSM POA 15 anos. Seminário: ” ATUAÇÃO E DESAFIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE OUTRA EDUCAÇÃO PARA OUTRO MODELO CIVILIZATÓRIO”

INtervenciónSeminário: “ATUAÇÃO E DESAFIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE OUTRA EDUCAÇÃO PARA OUTRO MODELO CIVILIZATÓRIO”

20 e 22 de janeiro

Sistematização das contribuições produzidas nos Círculos de Cultura  20 de janeiro. 8h30 – 13h. Parque da Redenção Tenda 5

Seminário 1ª sessão .- Contribuição da educação para a justiça social e a construção do mundo que queremos. Ramón Moncada, Marcio Cruz (FREPOP), Nélida Céspedes (CEAAL), José Luis Pasos (Confederación Española de Asociaciones de Padres y Madres del Alumnado – CEAPA) Pere Polo (Ensenyants Solidaris) Mediação: Sheila Ceccon. (IPF), Alessio Surian COFIR

Intervención de Nélida Céspedes

Círculos de cultura com um total de 38 participantes do Brasil, Peru,  México, Colômbia, Paraguai, Espanha, Argentina, Itália e Valência.

Perguntas problematizadoras:

O que fazer para que a educação esteja a favor da emancipação das pessoas e não da mercantilização do ensino, formal e não formal? Como contribuir a partir da perspectiva da educação popular e de outros enfoques transformadores?  

PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO: – Repensar a avaliação da educação – A educação formal deve deixar de ser  hegemônica, patriarcal e eurocentrista – Voltar a repensar o que são, de fato, práticas democráticas e inclusão. Identificar quem está e não está sendo incluído. – Romper as barreiras dos processos de formação, lutar por mais recursos para a educação.

– Educar para refletir e não para repetir. Estimular o pensamento crítico.

– Realizar práticas educativas contextualizadas, emancipatórias. Tomar a comunidade como base para o currículo.

– Recuperar, no processo educativo, práticas educativas “perdidas”.

– Retomar a amorosidade de que falava Paulo Freire.

– Recuperar teóricos que marcaram época na América latina.

– Garantir a escuta de todos/as, escuta que dê existência à fala do outro/a.

– Praticar a democracia na escola, não tê-la apenas como norma.

– Entender a cultura de maneira ampliada, incluir a cultura do território, trabalhar com o conceito de cidade educadora, de cidade como lugar de educação onde há uma multiplicidade de agentes educadores.

– Ultrapassar o espaço institucional para construir uma cultura contra hegemônica.

– Construir, coletivamente, outra leitura da realidade.  

PERSPECTIVA DA ARTICULAÇÃO:

– Construir discurso global que dê respostas à educação única/ hegemônica, buscar “influenciar” os grandes poderes que mercantilizam a educação.

– Disputar o significado das nossas palavras de luta.

– Articular outros sujeitos educativos nos processos do FME: Mídia livre, movimentos de secundaristas, de juventude, de pais/mães etc.

– Compartilhar (nos FMEs)  experiências educativas concretas, buscando inspirar novas práticas, divulgar novas narrativas e experiências de educação alternativas.

22 de janeiro. 8h30 – 13h. Parque da Redenção Tenda 4

Seminário 2ª sessão .- A contribuição do FME nos 15 anos do FSM. Principais marcos. Contribuições e reflexões para avançar

Moacir Gadotti Instituto Paulo Freire (Brasil) , Salete Valesan (Flacso), Albert Sansano (Confederaçao STEs) Mediação: Beatriz Gonzalez (CAORDIA)

Intervenção de Moacir Gadotti  (aqui em pdf)

Círculos de cultura com um total de 33  participantes do Brasil, Colômbia, Peru, Uruguai, Valência e Itália.  (cerca de 40 professores/as de Brasília participaram apenas da primeira parte do Seminário e não puderam ficar para os círculos de cultura por terem inscrito atividade no mesmo horário. Saíram antes de passarmos a lista de presença)

Pergunta problematizadoraComo fortalecer o FME e ampliar seu poder de incidência, na perspectiva de enfrentamento à mercantilização vigente ( da educação, da vida) e efetivação de uma educação pública e popular, crítica e emancipadora?

 CONTRIBUIÇÕES DOS CÍRCULOS DE CULTURA:

– Reafirmar a educação como direito público estatal, laico e gratuito, realizada de forma crítica, popular e emancipadora.

– Construir estratégias de fortalecimento dos espaços de participação da sociedade civil, articulando movimentos sociais, sindicais, organizações de jovens e de idosos, para integrar as agendas e a luta em prol da educação emancipadora. (aproximar o FME da agenda de lutas de direitos humanos, por exemplo)

– Buscar incidir, com pautas do FME, em planos de governo de candidatos a eleições.

– Criar um site do FME para socializar experiências, metodologias e ações, ampliando e assegurando a visibilidade do FME. Ampliar a rede do FME e retroalimentar diálogos onde circulem diferentes narrativas possibilitando e construção de novas propostas. Alimentar redes sociais, como por exemplo uma fanpage do FME.

– Pensar outros espaços de mídia que contribuam. Articular o FME com o FMML.

– Fazer com que documentos do FME cheguem às escolas. Fortalecer a participação de sindicatos e de professores no processo do FME.

– Apropriar-se das experiências das lutas em nível local e fortalecer diálogos com organizações e movimentos para fortalecer lutas concretas como por reforma política, por maior investimento na educação, pela democratização da escola pública (com a inclusão de todos os segmentos na sua gestão)

–  Fortalecer o espaço do Almanaque em relação a aprendizagem. Ter, por exemplo, uma plataforma com o perfil de comunidade de práticas (ex:https://novo.atencaobasica.org.br/). Promover espaços permanentes de discussão, diálogo.

– Identificar lições a serem aprendidas das lutas que aconteceram recentemente na Espanha, no Brasil, na Colômbia etc.

– Mapear agendas locais, regionais e mundiais e fazer com que o FME esteja presente, por exemplo, no CONFITEA e no FSM Canadá.

– Realizar um FME temático da juventude, onde a ênfase seja a participação jovem e o compartilhar de experiências educativas transformadoras (garantir a participação de secundaristas de SP)

– Realizar edições do FME durante o ano letivo, evitar agendar para as férias escolares.

Esta entrada fue publicada en Artigos/Artículos/Articles, Notícias/Noticias/Nouvelles/News. Guarda el enlace permanente.

Una Respuesta a FME/FSM POA 15 anos. Seminário: ” ATUAÇÃO E DESAFIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE OUTRA EDUCAÇÃO PARA OUTRO MODELO CIVILIZATÓRIO”

  1. Oscar jara dijo:

    Excelente contar con estos aportes. Felicitaciones!

    Oscar

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *